Quarta-feira, 10 de Dezembro de 2008

A razão deste blog é muito simples: ser um espaço de liberdade onde exprimirei livremente, sem constrangimentos nem rodeios e intermediários, os meus pensamentos e reflexões sobre todos os temas que me interpelam, ou que o venham a fazer, e que me fazem, ou farão, gritar contra a indiferença que, como a intolerância e a ganância, considero ser uma das doenças mais mortíferas da Humanidade.

 

Assim fazendo espero dar o meu contributo para o reforço da Cidadania Global Solidária. O meu lema será só e apenas este: recusar acomodar-me.

 

Este blog é mais um passo no assumir das minhas responsabilidades de cidadão do mundo atento e activo. Tudo farei para me manter sempre coerente com os Valores e Princípios que nortearam a minha vida até hoje bem consciente de que, se tenho Direitos inalienáveis, tenho sobretudo Deveres irrecusáveis para com o meu País e o Mundo.

Tentarei pois partilhar com todos vós, meus amigos, as questões que tanto me interpelam e por vezes, confesso, me angustiam ou me iluminam.

Essas questões são: as crises humanitárias, as guerras, a fome, a corrupção, a cidadania global, as alterações climáticas, a exclusão social e a pobreza, as migrações, os direitos humanos, os povos esquecidos, o voluntariado, os conflitos sociais, o civismo, o alertar consciências, a globalização ética e cultural, a governação ou desgovernação global na política ou nas finanças…

Este blog pretende pois apenas dar um singelo contributo à Democracia e à Paz em Portugal e no Mundo em nome do Ser Humano, lutando irredutivelmente pela Liberdade e pela Fraternidade.

Essa é a minha profissão de fé enquanto ser livre que sou.



publicado por Fernando Nobre às 00:00
link do post | comentar

48 comentários:
De Leiriense adoptado a 20 de Abril de 2011 às 03:51
Se o Dr. Fernando Nobre tivesse aceite o convite do PS para as suas listas seria um acontecimento inigualável. Estava a conseguir trazer para as suas hostes Independentes que muito peso têm na vida pública. Assim, como acedeu fazer parte das do PSD, ... é o que se vê. Porque não é dado o mesmo tratamento, por parte da comunicação social, ao Senhor que encabeça a lista do PS por Leiria? Ou a João Soares no Algarve ? A pessoa a atacar é Fernando Nobre. É a pessoa que faz a diferença. Força Dr. Fernando Nobre. Os touros apanham-se de frente, pelos cornos e o Senhor sabe isso melhor que ninguém.


De jose lino coelho a 17 de Abril de 2011 às 20:19
Exmo. Senhor Doutor, sou filho de um homem com letra grande pois sempre honrou e soube pautar a sua função de coordenador e voluntário da Cruz Vermelha.
Em Angola ( Luanda) sempre foi respeitado como responsável e isento. Era reconhecido antes e depois do 25 de Abril como um verdadeiro elemento da Cruz Vermelha. Em tempo de guerra várias foram as vezes que foi buscar elementos da guerrilha ( MPLA) às zonas de conflito. Depois do 25 de Abril nos confrontos armados era a única instituição que entrava nos bairros e zonas de guerra. Foi ferido em combate por mercenários da FNLA quando transportava feridos do MPLA.
O senhor mais do eu sabe que a sua função na AMI deixou de ter qualquer sentido. A sua função nunca pode estar ligada a partidos, raças ou credos. Esta sua posição põe em risco os voluntários da AMI em zonas de conflitos pois passa a ter decisões sobre a forma de actuar do país em relação a qualquer conflito.
Que garantias temos nós que os fundos da AMI não serão usados para seu proveito em campanhas políticas.
Tenha respeito e opte pela melhor decisão. Se tem a ambição de ser político deixe a AMI para os apartidários e fieis defensores das causas humanitárias.
Acredite que já perdeu esse respeito.
A ambição mata o homem. O voluntário , sem fins lucrativos, valoriza-o.


De Henriques, Isabel a 28 de Agosto de 2010 às 16:23
Como posso colaborar?
Que necessidades prementes existem na Candidatura?
Já estão todas as assinaturas recolhidas?
E o financiamento, não poderia ser 'tipo Obama ' sendo possível através da net ou Multibanco depositar pequenas quantias provenientes de cidadãos individuais?

Disponha e ajude-me a ser activa
Vai correr bem esta missão que também tem carácter emergente, para Portugal.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Como posso colaborar? <BR>Que necessidades prementes existem na Candidatura? <BR>Já estão todas as assinaturas recolhidas? <BR>E o financiamento, não poderia ser 'tipo Obama ' sendo possível através da net ou Multibanco depositar pequenas quantias provenientes de cidadãos individuais? <BR><BR>Disponha e ajude-me a ser activa <BR>Vai correr bem esta missão que também tem carácter emergente, para Portugal. <BR class=incorrect <a name="incorrect">ilh.igc@gmail.com</A> </A><BR>Isabel Henriques


De Fernando Nobre a 10 de Setembro de 2010 às 13:01
Cara Amiga,

obrigado pela sua vontade em colaborar e apoiar este meu combate.

Poderá tornar-se voluntária, dirigindo-se à sede nacional da candidatura em Lisboa, na Avenida António Augusto Aguiar nº86, ou dirigindo-se ao núcleo da sua área de residência, cuja lista poderá consultar na página do Facebook, em http://www.facebook.com/pages/Fernando-Nobre/316534327242#!/pages/Fernando-Nobre/316534327242?v=app_4949752878l.

Se pretender fazer um donativo, poderá encontrar o NIB da conta no site www.fernandonobre.org.

Abraço,






De ruilavieter a 17 de Março de 2010 às 22:17
É imperioso que exista uma candidatura que seja humanista, honesta preocupada com os problemas que o nosso país atravessa, a sua tenacidade, sua coragem levará sem duvida este País a uma nova ordem de justiça social, progresso económico , e uma nova mentalização de sermos positivos para alcançarmos outros patamares, sei que é um protector dos esquecidos, e dos desprotegidos, é sem duvida um vencedor e o povo conta consigo. Um abraço

Rui La-Vieter


De Fernando Cepêda a 21 de Fevereiro de 2010 às 00:32
Exmo. Dr. Fernando Nobre.
Foi com um grande arrepio que ouvi o anunciar da sua candidatura à Presidencia da Républica.
Tenho acompanhado ao longo destes anos, a sua entrega às grandes causas humanitárias enquanto membro e como responsável desta grande "cadeia de solidariedade AMI". Com muito agrado, ouvi a sua entrevista na RTP2 . Vi e ouvi este "Grande Homem" que tanto admirava, com outros olhos diferentes dos que via e lia nas revistas da minha juventude, mais maduros, fruto dos 47 anos que já carrego. Respostas claras, evidentes, vividas e sentidas, deixaram-me de tal maneira deliciado e cada vez mais fascinado pela figura entrevistada que comentei com a minha esposa "Este homem não mereceria um Prémio Nobel da Paz?" "olha aqui estava um bom candidato à "Presidência da República", um grande embaixador do nosso país! Quem diria, que pouco tempo a seguir ao meu pensamento haveria "fumo branco".
Esta admiração por si, advém de muitas coisas, que acho ter em comum consigo: também eu sou Fernando; também eu nasci em Luanda, precisamente em S.Paulo; também eu vim para Portugal, mas em 1975, fugido duma guerra; também eu gostaria de ter sido médico, mas como fui vítima uma cobaia da reforma atribulada do ensino pós 25 de Abril, fiquei-me pelo professorado, também eu sou um idealista e humanista, sempre ligado às causas da solidariedade da minha zona, também DEUS me acompanha na minha caminhada de peregrino e arauto da Sua Palavra, também eu tive a sorte de privar durante quatro anos com uma grande senhora que o apoia, Dra. Catalina Pestana, na altura coordenadora nacional do "Projecto Viva a Escola"- prevenção primária da toxicodependência em meio estudantil e eu responsável do referido projecto na Escola Secundária de Mirandela, localidade esta, onde resido.
O mundo e o nosso país, precisa de Homens que não temam, que levantem a voz pelos valores do "coração e da emoção", pois os valores políticos estão completamente em descrédito e absoletos. Obrigado pela sua coragem e determinação para esta candidatura que será marcada por um grande grito de " Amor" a Portugal e à humanidade!
Como acredito na sua candidatura, conte com o meu apoio e o meu serviço em prole desta boa causa -Portugal!
Respeitosos Cumprimentos,
Fernando Cepêda -Mirandela.


De olga cecilia oliveira a 19 de Fevereiro de 2010 às 21:01
Foi com surpresa e alegria que tomei ontem conhecimento da sua candidatura, cuja apresentação acabei de ver e ouvir e cujo conteúdo, no meu ponto de vista, é o espelho da sua forma de ser. Espero que ganhe a eleição. Conte com o meu apoio.
Respeitosamente,
Olga Cecília


De Marta Costa a 18 de Fevereiro de 2010 às 22:32
Foi com enorme alegria que ouvi, na Comunicação Social, que seria candidato à Presidência da República. Falar sobre as suas qualidades humanas, seria uma repetição de tudo o que se tem dito sobre si, portanto só me resta dizer-lhe o comentário que de imediato fiz, quando ouvi a notícia "finalmente uma candidatura séria; o meu voto está garantido."
Gostaria de lhe dizer que não é um apoio imediatista, mas antes o apoio de uma mulher de 52 anos, que desde os seus 16 anos participou activamente contra o fascismo, e depois na construção e consolidação da democracia, que fez parte de órgãos autárquicos, que participa no movimento sindical e continua a lutar contra a indiferença. Como não quero acreditar que está inscrito no nosso código genético o medo, a falta de carácter, o olhar para o umbigo que mais de 2 séculos de Inquisição e 50 anos de fascismo introduziram, por osmose, no nosso ADN, vou apoiar a sua candidatura com a convicção que ainda é possível mudar e que existe gente neste país que ainda acredita que o Humanismo não é uma utopia.
Com os melhores cumprimentos
Marta Costa


De Isabel Rute Martins Barata a 19 de Fevereiro de 2010 às 22:12
Amigo Fernando Nobre, ainda mal o conheço e já sinto por si uma enorme admiração e respeito.
Senti uma grande alegria quando ouvi que se ia candidatar à Presidência da República. Conte desde já com o meu voto e com a minha inteira disponibilidade para colaborar consigo no que precisar.
Eu sou uma cidadã anónima que ousou escrever um testemunho, sou a co-autora do livro "Unidos no Amor contra a Indiferença" da Editora Quidnovi ...
Foi depois de ver um entrevista sua na RTP2 que optamos por este título para o "nosso" livro em comum. Eu e o meu namorado, Manuel Matos, escrevemos este testemunho com a intenção de mudar mentalidades...
Se tiver disponibilidade gostaria que visse esta reportagem sobre "nós" e nesta área pudesse ajudar a resolver algumas "injustiças" http://www.rtp.pt/multimedia/?tvprog=23317&idpod=35554
Bem haja por ser "diferente" neste Mundo de "iguais"
Um grande abraço da Isabel Barata


De limiana a 17 de Fevereiro de 2010 às 21:19
Dr. Fernando Nobre, é um homem com "H" grande. Um homem que merece todo o respeito, pelo que tem feito em prol do bem...
Sinto enorme orgulho, por saber que existem pessoas fantásticas como o Sr. !!!
Bem haja.


De Pedro Melo a 26 de Agosto de 2009 às 13:05
Bom dia:

Tenho a ousadia de o importunar com este comentário por duas razões:
- Primeiro, para o cumprimentar e lhe demonstrar a minha admiração e respeito pela sua carreira - que tenho acompanhado desde os anos 80 - não só como técnico, mas principalmente como humanista, ao fazer da sua vida uma dádiva à humanidade, uma vida de serviço e de entrega a essa causa superior e o que é mais raro, conseguiu essa entrega, com liberdade, sem interesses, sem fazer concessões a nenhum poder, ou ideologia, que não o poder do seu idealismo, da sua humanidade. Deixe-me dizer-lhe que para ter exito nessa caminhada não teve que ter aptidões especiais, "apenas" uma grande vocação e amor ao próximo, uma anormal capacidade para não ser indiferente. Penso que é aí que reside a sua força, a sua força está na convicção com que defende a sua causa, na capacidade que tem de se fazer ouvir, de "chamar" e "puxar" as pessoas para a causa. Para bem de todos nós faço votos que mantenha essa força, esse espirito por muito tempo.

A segunda razão prende-se com aquilo que falei antes: a capacidade de "chamar" as pessoas para a causa da humanidade. Em 2007 ouvi-o numa conferencia na Lousã: "Direito à diferença/Não à indiferença". E fez-me pensar, sempre achei que cumpri satisfatóriamente o meu dever para com a sociedade, sou bombeiro voluntário há 27 anos (desde os 16 anos), escuteiro há 29 anos, participo na vida autarquica, actualmente como vereador (até Outubro), mas falta algo, algo que o Dr. Fernando Nobre despertou em mim e então conclui que esse algo estará nos bombeiros, bombeiros que são muito mal aproveitados a nível do voluntariado. Vejamos são cerca de 40000 mulheres e homens, com todas as profissões possiveis e imaginárias, será que não seriam uma mais valia para o país e o mundo aproveitar essas pessoas no seu tempo livre? Tenho feito algumas pesquisas à procura de entidades nacionais ou internacionais que agrupem bombeiros e os tornem úteis e não encontro, o que gostaria de lhe perguntar é se tem conhecimento de alguma entidade deste género, onde os bombeiros se possam inscrever e caso negativo se vê alguma viabilidade/interesse em criar esta instituição? Uma instituição que seria util por exemplo na emergência pré-hospitalar, busca e salvamento, reconstrução, etc., estou-me a lembrar, por exemplo, que existem muitos pedreiros, porque não como voluntários para construir habitações, também há médicos, assistentes sociais, enfermeiros, etc., etc., estava a pensar o uma organização bombeiros sem fronteiras. Gostaria que me desse a sua opinião, se achar uma ideia idiota, impraticável e sem sentido, agradeço que me diga, não pensarei mais no assunto, se tiver conhecimento da existência de algo semelhante também gostaria que me informasse, para poder contribuir com a minha modesta pessoa. Sabe os bombeiros em Portugal apenas actuam a nivel das suas áreas e quando actuam fora delas é numa perspectiva governamental o que é muito redutor, não havndo assim um efectivo aproveitamento destas pessoas que, na sua maioria, têm uma grande vontade de servir a comunidade e a humanidade e nunca se apreendeu a força e capacidade destes homens e mulheres.
Peço desculpa pelo tempo que lhe tomei e pela extenção, agradeço a paciencia que fez o favor de ter comigo.

Um grande abraço,

João Pedro Melo


De Fernando Nobre a 30 de Agosto de 2009 às 10:39
Meu caro Amigo antes de mais obrigado pelo seu comentário. Felicito-o pelo espírito de servir que possui num elevadíssimo grau. A sua ideia é magnífica e tem todo o cabimento. Se me permite dou-lhe uma sugestão: comece por mobilisar os seus colegas bombeiros nacionais e em seguida avance para a Europa e o Mundo. Que eu saiba esse género de movimento actuante em termos globais não existe. Os bombeiros pela sua extraordinária acção no quadro da Protecção Civil podem e devem exercer uma acção muito valiosa em todos os cenários de catástrofe natural e não só! Agora é pôr mãos à obra... Nesse sentido estou disponível para dar o contributo que achar oportuno. Com um grande abraço.


De Pedro Melo a 31 de Agosto de 2009 às 17:43
Bom tarde Dr.

Agradeço as suas amáveis palavras. Agradeço principalmente o incentivo com que fez o favor de me brindar, para as poucas pessoas com quem tenho partilhado esta ideia, trata-se de idealismo, loucura; a sua palavra de incentivo, o achar que é uma ideia com sentido, é muito importante para mim e finalmente vai-me dar a coragem para começar a falar com as pessoas, propor a criação de uma associação com este fim talvez, não sei, não será fácil, não tenho o carisma do Dr., mas tenho a vontade, que agora é muito mais forte e seja o que Deus quiser.
Sei que é uma pessoa muito ocupada, apenas o tornarei a importunar se e quando tiver algum desenvolvimento sobre esta causa a que me proponho.
O meu muito obrigado.

Um grande abraço,

João Pedro Melo


De Rui F.T. Xavier a 21 de Agosto de 2009 às 15:25
Muito boa tarde Senhor Dr. (Médico) Fernando Nobre.
Permita-me a ousadia de me dirigir a vexa,nomeadamente, por ter conhecimento da imensidão de ocupações em que vive conectado diáriamente.
Não escrevo na qualidade de "voluntário", que não o sou, mas com voluntária vontade de fazer chegar a este seu espaço um sentimento verdadeiro.
É sempre bastamente complexo exprimir e sublinhar virtudes e raras qualidades, em alguém que as recebe a todo o momento, de todas as formas, e por todas as maneiras.
Tarefa ingrata, para mim e, estou certo, para o comum dos mortais como eu,que apenas correm em defesa de principios e exercício de carácter.
Estando eu em período de convalescença de uma recente cirurgia (hernioplastia umblical), em casa, usufruindo do lado positivo que tem, também, o zapping, quando parei num programa da RTP N, cujo assunto era uma entrevista do Jornalista Carlos Daniel(?), com vexa.
Estava a almoçar nesse preciso momento, na companhia da minha namorada, eu, de costas para a televisão,quando de repente dei por mim a torcer o pescoço para trás, e seguir com ouvido absoluto cada palavra pronunciada pelo Senhor Dr.
De imediato, pensei, da minha incógnita e simples categoria de cidadão, gostaria de transmitir ao entrevistado quão foi iluminada a oportunidade de seguir sua narrativa, na tranquilidade segura de sua dicção segura e histórica mas, principalmente, pelo que essa audição, esse visionamento, funcionou como um verdadeiro renovar na necessária e nem sempre fácil esperança no "outro"...pois o risco é que a indiferença possa, naturalmente, resvalar para a intolerância, algo que não é de todo um quadro impossível, assim se continue 8como eu) teimosamente a querer viver em função de um carácter.
Assalta-me a ideia de coragem, daí a importância de o ter ouvido, replicando muitas outras informações que venho registando sobre a sua existência em termos genéricos.
Bem haja pois por tudo Senhor Dr. Fernando Nobre, e muito obrigado.

Respeitosamente e com elevada consideração,
Rui Xavier


De Fernando Nobre a 23 de Agosto de 2009 às 22:42
Desejo-lhe uma rápida recuperação e estou feliz por partilhar consigo os mesmos valores. Força e abraço.


De Rui F.T. Xavier a 24 de Agosto de 2009 às 22:20
Exmo. Senhor Dr. Fernando Nobre,

Muito obrigado, primeiro, por me honrar com a disponibilidade para me ler, e se dignar responder de forma tão amavel e pronta, bem como pelos votos de recuperação (vou incrementá-la,também, com enriquecimento pessoal que espero viver ao "viajar" e "sentir" na leitura de livro recente de sua autoria).

Com elevada consideração e estima pessoais,sou
Rui Xavier

P.S. Se me permite, aproveito a oportunidade para desejar ao Senhor Dr. e sua exma família um óptimo período de férias.


Comentar post

Fernando José de La Vieter Ribeiro Nobre nasceu em Luanda em 1951. Em 1964 mudou-se para o Congo e, três anos mais tarde, para Bruxelas, onde estudou e residiu até 1985, altura em que veio para Portugal, país das suas origens paternas. É Doutor em Medicina pela Universidade Livre de Bruxelas, onde foi Assistente (Anatomia e Embriologia) e Especialista em Cirurgia Geral e Urologia. (continuar a ler)
FOTO DA SEMANA


LIVROS QUE PUBLIQUEI

- "Viagens Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Gritos Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Imagens Contra a Indiferença",
Círculo de Leitores / Temas & Debates


- "Histórias que contei aos meus filhos",
Oficina do Livro


- "Mais Histórias que Contei aos Meus Filhos", Oficina do Livro

- "Humanidade - Despertar para a Cidadania Global Solidária", Temas e Debates/Círculo de Leitores

- "Um conto de Natal", Oficina do Livro
Pesquisa
 
Contador de Visitas