Segunda-feira, 2 de Março de 2009

Eis o texto que li hoje na apresentação da lista do Bloco de Esquerda, candidata ao Parlamento Europeu, de que aceitei ser mandatário nacional.


Minhas Senhoras, Meus Senhores, Caros Amigas e Amigos,

Quero agradecer, antes de mais, ao Bloco de Esquerda e ao seu cabeça de lista para as Eleições ao Parlamento Europeu, Dr. Miguel Portas, a Honra e a Confiança que em mim depositaram ao convidarem-me para seu Mandatário Nacional para estas Eleições pese embora, como é do conhecimento público, nunca ter pertencido, e não pertencer, ao BE nem a qualquer movimento ou partido político no nosso País.


Aceitei ser Mandatário Nacional do BE para as próximas Eleições ao PE, como Cidadão Independente e a título meramente Pessoal por me rever, enquanto membro assumido de uma Sociedade Civil que se quer activa, exigente, informada, atenta e participativa, nesta candidatura por Três Razões Objectivas e Decisivas:


1- A lista do BE ao PE é constituída por seres humanos de bem, competentes, inconformados, atentos, capazes, intervenientes e, se necessário, politicamente incorrectos. Estou convicto que ousarão pôr o dedo nas feridas e pugnar por novos e indispensáveis paradigmas políticos, éticos, sociais, ambientais, solidários, económicos e financeiros, de que tanto carecemos na Europa e no Mundo. Mais ainda, não tenhamos receio de o afirmar, no contexto actual, particularmente crítico e inquietante, quase de colapso, nos domínios Financeiro, Económico, Social, Político, Ético e até Moral!


Sinceramente acredito que a eleição de uma equipa reforçada do BE no PE é hoje uma questão de salubridade pública e ética, numa Europa paralisada no charco da inércia, da subserviência e de nefastos compromissos. Essa Europa, que repudio, está enferma porque liderada por políticos caducos e profundamente comprometidos com políticas financeiras, económicas, internacionais, educacionais, laborais e sociais erradas que estão na base da derrocada presente.
Essas políticas foram e são contrárias aos interesses e às necessidades da larguíssima maioria dos cidadãos europeus e do Mundo, sobretudo os mais carenciados e frágeis.
Para que se restabeleça a imperiosa CONFIANÇA dos cidadãos europeus, nomeadamente os portugueses, nas estruturas de comando da Europa, é fundamental que se mudem as políticas e os políticos. Tal é vital para a implementação de soluções credíveis, decentes e eficazes. Já começa a estar em causa a salvaguarda da própria Democracia: ainda vamos a tempo de salvar a Democracia na Europa, na condição de nós, os Cidadãos, não nos alhearmos e não nos acomodarmos com o inaceitável. A Europa só se concretizará se nós, os Cidadãos, nos empenharmos na defesa dos nossos Deveres e Direitos e soubermos estar ao lado daqueles que se batem pelos Valores que dignificam a espécie Humana. Só dessa maneira seremos dignos, responsáveis, escutados, respeitados e tranquilizados.
Temos pois TODOS que nos empenhar na procura de soluções credíveis. Razão pela qual aqui estou.

 

2- A lista do BE ao PE é liderada por um ser humano, o Dr. Miguel Portas, que respeito e muito estimo. Somos amigos sem nos frequentarmos: almocei hoje pela primeira vez com ele. Sigo as suas nobres causas há anos. O Dr. Miguel Portas tem procurado sempre, com tacto, educação, sensibilidade, argúcia, argumentação, coerência e competência e simultaneamente com convicção, determinação e entusiasmo, respostas éticas e ponderadas às grandes interrogações do nosso tempo. Inúmeras vezes, sem lho fazer saber, estive em sintonia com ele.
Quer no seu papel de membro do Parlamento Europeu, quer nos seus textos, reportagens, debates e conferências, impregnados de cultura, conhecimento, humildade e humanismo, sempre apreciei a sua postura mesmo quando dele discordava. Como dois seres livres e tolerantes que somos, é normal, e até salutar, a discordância. É no Dialogo, e não nas bombas, que se constroem as pontes que nos devem levar ao entendimento e à convivência pela Paz.

 

3- Após leitura do Compromisso Eleitoral do BE ao PE, senti-me confortado por aí ver transcritas, de forma positiva, inúmeras questões pelas quais me tenho batido e alertado, nos meus gritos contra a indiferença, ao longo de muitos anos:

• Respeito pelos Direitos Humanos,
• Respeito pelo Direito Internacional,
• Defesa do Meio Ambiente,
• Regulamentação e Fiscalização adequadas do Mercado,
• Responsabilização dos Especuladores tóxicos e irresponsáveis porque em levitação estratosférica,
• Fecho das Offshore na Europa e se possível no Mundo,
• Taxação das mais valias das transacções financeiras,
• Proibição da especulação sobre os alimentos,
• Combate sem tréguas contra a Pobreza, a Miséria e a Exclusão Social cuja coexistência é impossível com a Democracia,
• Rejeição das guerras preventivas e outros conflitos fabricados por mentes doentias,
• Controlo dos Armamentos,
• Reforço da Cidadania e promoção da sua efectiva participação,
• Equilíbrio entre a insubstituível Democracia Representativa e uma justa e indispensável componente de Democracia Participativa que potencie sinergias entre os Estados e os seus Povos,
• Procura com Equidade de Soluções justas e aceitáveis para os conflitos no Próximo e Médio Oriente,
• Preocupação com o Desenvolvimento dos países mais frágeis e com o futuro dos seus habitantes quando mesmo entre nós,
• Comercio Justo,
• Rejeição e combate à Corrupção,
• Rejeição da Tortura,
• Rejeição dos voos da CIA que enlamearam a Europa…


E todos esses objectivos e preocupações, não como mera retórica oca ou propagandística, da qual nós cidadãos já estamos cansados e mesmo fartos, mas como vontade genuína e a sincera determinação, assim entendo e acredito, em lutar por propostas concretas e encontrar soluções que vão ao encontro da vontade da esmagadora maioria dos povos europeus, nomeadamente o português.


Tudo isso encontrei no Compromisso Eleitoral do BE para o PE cuja leitura o Dr. Miguel Portas atempadamente me facilitou.

 

Se acrescentar às três razões que acabo de expor, o nome das pessoas, embora não as conhecendo pessoalmente senão hoje, que acompanharão o Dr. Miguel Portas na sua missão ao PE em nome do BE, nomeadamente os Drs. Marisa Matias e Rui Tavares aqui na mesa, que sei defenderem eles também uma sociedade humana menos injusta e mais consentânea com a dignidade de todos os seres humanos, penso ficará clara a razão pela qual aceitei, a título pessoal repito, o muito honroso convite que me foi endereçado pelo Dr. Miguel Portas, em nome do BE, para ser o Mandatário Nacional do BE para as eleições ao PE.


Quero terminar expressando o sincero desejo de ver eleitos para o PE o máximo de candidatos do BE, esperando poder ser-vos útil como Mandatário Nacional.
E agora, sempre pela Positiva, e em nome dos Valores que comungo convosco, peço-vos que lutem por uma Europa melhor e que não nos desiludam quando estiverem longe em Bruxelas, Estrasburgo ou Luxemburgo.... Sei que não o farão. Lutem pelos nossos Valores, por Portugal, e pela dignidade de todos os Seres Humanos: se assim fizerem teremos, todos, uma melhor Europa mas também, um melhor Mundo e um melhor Portugal.
Muito obrigado meus Amigos e disponham de mim para o que vos for útil.



publicado por Fernando Nobre às 18:30
link do post | comentar

40 comentários:
De Jorge Mendonça a 13 de Junho de 2009 às 23:45
Caro Sr.
Quero dizer-lhe que não fica nada bem ao Sr, meter-se nestas lides.
1º Porque o Sr sempre compactuou com o poder...Quem lhe deu os subsidiuos ao longo destes anos ???
2º Não diga mal do Dr Durão Barroso (tão amigos que nós éramos) ainda pode um dia precisar dele e não se esqueça que o Dr Anibal Cavaco Silva é muito amigo do Dr Durão.
3º Publique as criticas não se acobarde, ou existem criticas que o Sr têm dificuldade em responder ???
Tenha cuidado com o que diz...Todos temos telhados de vidro.


De Fernando Nobre a 15 de Junho de 2009 às 12:16
Caro Sr. Mendonça,

Como entenderá já sou bem grandinho para saber em que lides me posso ou não meter. Não obstante agradeço-lhe a atenção. Quanto aos 3 pontos que escreve na sua mensagem apraz-me dizer-lhe o seguinte:

1. O Sr. anda mal informado. Nunca pactuei com qualquer poder e sempre disse o que pensava. Quanto ao dinheiro nunca precisei a título pessoal tendo qualificações suficientes para me defender. Quanto à AMI, se era à instituição que se queria referir, sempre prestou os serviços para os quais recebeu financiamentos públicos (cerca de 20% do total do seu orçamento) para os respectivos projectos.

2. É abusivo e manipulador utilizar a fórmula "tão amigos que eles eram". O Dr. Durão Barroso e eu nunca fomos amigos pessoais e não lhe devo nenhum favor. Nunca pedi nem nunca me foi proposto. Respeitei-o e tive estima pessoal por ele até ele ter tomado duas atitudes que considerei e considero altamente lesivas e indignas para Portugal e o Mundo: ter abandonado Portugal como o fez e ter dado cobertura, como deu, à espúria guerra no Iraque. Acredito que o Senhor Presidente da República, Professor Aníbal Cavaco Silva, entende as razões que me assistem.

3. Se me conhecesse minimamente saberia que não sou nem nunca fui cobarde. Recuso pois as suas indignas insinuações extensivas aos "telhados de vidro...".

Neste blog só não são publicadas mensagens insultuosas gratuitas. Não temo as críticas. Estou disposto a recebê-lo para o ouvir e responder-lhe olhos nos olhos quando entender: estou à sua disposição.

Obrigado.


De paula a 15 de Junho de 2009 às 19:20
é assim mesmo! é por isso que gosto de si :)))


De Fernando Nobre a 17 de Junho de 2009 às 15:21
E eu de si! Abraço ;-)


De Contracena a 1 de Maio de 2009 às 00:20
Dr. Fernando Nobre. É com exemplos como o que o Sr. dá que nos anima. É enorme o seu gesto de humanismo no dia a dia e ao aceitar ser mandatário Nacional do BE ainda cresceu mais a minha admiração pela sua pessoa.


De Elcio Chiquinato a 24 de Abril de 2009 às 12:01
É com profundo agrado que leio esta sua publicação e desde já agradecido pela sua decisão.

Obrigado por ser um ser humano de bem, competente, inconformado, atento, capaz, interveniente e, se necessário, politicamente incorrecto.

Um bem haja.

"All that is necessary for the triumph of evil is that good men do nothing." (Edmund Burke)


De pedro mendonça a 29 de Março de 2009 às 09:47
a sua vida é inspiradora. o seu apoio à lista BE é corajosa numa sociedade onde se olham partidos como clubes de futebol. a verdade é que não tinha outra escolha, o sr e a lista defendem os mesmos valores, a mesma acção, o sr no terreno e eles na política. obrigado cidadão Nobre pela sua coragem.

gostaria muito que fosse nosso presidente da república. pense nisso e não me responda por favor.


De albufeiradiario a 8 de Março de 2009 às 14:43
Com toda a admiração que nutro por si e com verdadeira frontalidade, permita-me que lhe diga: o senhor não devia ter aceite. O senhor é, pela sua própria natureza e acção, o Mandatários das Vítimas da Intolerância e Indiferença!


De Fernando Nobre a 23 de Março de 2009 às 22:25
Compreendo o seu comentário meu amigo mas foi exactamente pelo que diz que eu sou, e porque não posso estar em certos lugares para gritar em nome dos sem voz, que aceitei ser mandatário do BE embora não pertencendo a esse nem a qualquer outro partido. Estou convicto que os eleitos do BE ao PE serão vozes dissonantes úteis para os mais fracos da Europa e do Mundo. Espero não me enganar como tive a ocasião de lhes dizer! Obrigado.


De paula a 24 de Março de 2009 às 16:51
Não se enganará, a não ser que o BE conseguisse resultados tais, que se tivesse que render, como todos os outros que lá chegam, ao poderio dos lobbies. Como é muito pouco provável que tal aconteça podem dar-se ao luxo de ser as vozes dos mais fracos e lutar por valores éticos em vez de valores financeiros.


De Terezinha Cordeiro a 25 de Abril de 2009 às 18:57
A Albufeiradiario
Se devia ou não ter aceitado só ao própio compete decidir e, penso eu, não há incompatibilidade com o ser « Mandatário das Vítimas da Intolerância e Indiferência ».


De Contracena a 1 de Maio de 2009 às 00:13
Permita-me que use a sua citação ( albufeiradiario) acrescentando. Com toda a admiração que nutro por si e com verdadeira frontalidade, permita-me que lhe diga: o senhor fez muito bem em ter aceite. O senhor é, pela sua própria natureza e acção, o Mandatários das Vítimas da Intolerância e Indiferença!


De Antóno a 7 de Março de 2009 às 05:01
Também tenho sido votante do BE e fico muito satisfeito que tenha aceitado ser mandatário nacional na lista candidata ao PE.Como crente e cristão,congratulo-me com essa sua representação,tanto mais que sei que os valores da espiritualidade consequente lhe são queridos.Bem haja.Grande abraço.


De Ana a 6 de Março de 2009 às 23:53
Dr. Fernando Nobre,
Que Europa e mundo tão diferente teríamos se todos nos empenhássemos diariamente para fazer prevalecer os Valores da liberdade, tolerância, respeito e dignidade de todos os SERES HUMANOS.
A nossa indiferença é na maioria das vezes a causa principal de tanta injustiça que vemos à nossa volta e com a qual nos indignamos.
Não sermos políticos não significa que não tenhamos que nos comprometer políticamente através da nossa participação e empenhamento cívico.
Alguém que toda a sua Vida se tem batido pelos valores que dignificam o SER HUMANO e se tem empenhado na defesa destes direitos sente que a sua participação cívica poderá contribuir para fazer ouvir no Parlamento Europeu as vozes dos que irão lutar por uma Europa mais justa, mais humana e mais SOLIDÁRIA.
Se estes valores forem defendidos a Europa, Portugal e todo o mundo serão mais justos, mais tolerantes, mais fraternos.
Muitos parabéns pela sua Coragem.


De Fernando Nobre a 7 de Março de 2009 às 22:01
Obrigado amiga Ana pela força que me dá. Todos temos que ir à luta: não há mais tempo a perder. Os "sem voz" e o nosso Planeta clamam por nós!


De Sofia Montenegro a 6 de Março de 2009 às 19:37
Caríssimo Dr Fernando Nobre, antes de mais gostei muito do encontro da AMI aqui no Porto e o cartaz oferecido de uma tela de Lívio de Morais já está na parede da minha sala, devidamente emoldurado..(p além de excelente pintor, mt simpático tendo me dado, com tda a simpatia, notícias de Moçambique, onde já não vou desde 2001!). Fiquei muito feliz, é o termo, que tenha aceite ser mandatário do BE , q, desde q surgiu, é o partido com q me identifico e acredito e já lá vão 10 anos. Admiro tb a postura dos Dr Miguel Portas (c quem falei num encontro de Filosofia sobre "O Divino", na U. de Coimbra), Dr Francisco Louçã ou Ana Drago, só p mencionar alguns. A postura ética, destes deputados, destaca se efectivamente dos restantes partidos e este (partido) foi escolhido por mim em liberdade (à qual, como sabemos, estamos efectivamente condenados, como nos alertava já há mts anos Sartre!) e nunca me desiludiu. PARABÉNS, não se vai arrepender de ter aceite ser mandatário do BE , um abraço com amizade, Sofia Montenegro


De Fernando Nobre a 7 de Março de 2009 às 22:03
Obrigado por ter estado no Porto. Quanto ao resto, fiz apenas o que a minha consciência me ditou.


De F a 5 de Março de 2009 às 13:54
Dr. Fernando Nobre, espero que cada vez mais a política seja feita por PESSOAS em vez de seres afectos a partidos. É por aí que eu vou. São os seres humanos que mudam o mundo e que fazem a história. Não são os partidos. Quando mais de uma pessoa que admiramos se junta para lutar contra algo em que acredita, então isso é muito bom. Desde sempre que admirei o Dr. Miguel Portas e a sua postura na vida, e desde sempre que o admiro a si, pelas mesmas razões. Fiquei mesmo contente por vê-los aos dois unidos neste mesmo projecto. Gosto das pessoas de espírito livre, íntegras, educadas e iguais a si próprias. São qualidades que as tornam inabaláveis. Acho que anda muita gente por aí, distraída, que talvez não saiba verdadeiramente o valor e a importância da democracia. Isso assusta-me um pouco. Um grande abraço.


De Totalmente sem partido! a 5 de Março de 2009 às 16:41
Absolutamente de acordo. Mas deixou-me confundido. O dr. Fernando Nobre será, certamente, uma "PESSOA", mas vai fazer, neste caso, política afecto a um partido, ao BE, vai ser mandatário da lista do BE ao PE. O BE é um partido. O Dr. Miguel Portas é, certamente uma pessoa de " espírito livre, íntegras, educadas e igual a si própria", mais ainda as restantes qualidades que no texto se aponta. Sem nada a opor. Mas fico novamente confuso. É que o dr. Miguel Portas é membro de um partido, faz parte de direcção nacional de um partido que, de resto, ajudou a fundar. O Camilo bem se esforçou. Escreveu A Queda de um Anjo. Mas de nada valeu. A confusão continua.


De Fernando Nobre a 7 de Março de 2009 às 22:11
É necessário dar força em quem acreditamos, dentro ou fora dos partidos. Temos que encontrar pessoas de bem, que as há... Quanto a este seu amigo, nunca teve a pretensão de ser um anjo... Abraço.


De F a 10 de Março de 2009 às 22:47
Não vejo onde possa estar a confusão. Não me movo pelos ideais de um partido, mas sim pelos ideais das pessoas que o compõem, em cada momento. Os partidos mudam com os anos: vão entrando e saindo pessoas. As pessoas, por vezes, também mudam de ideias / ideais. No BE , como em todos os partidos, há pessoas diferentes umas das outras. Tenho observado a actuação de Miguel Portas na Europa e como indivíduo e ganhei uma grande consideração por ele. Isto não significa que sou adepta do BE , mas votarei no BE para eleger Miguel Portas.


De Fernando Nobre a 5 de Março de 2009 às 17:09
Obrigado. Cabe-nos o dever de os alertar sobre as distracções que podem ser perigosas. Abraço.


De Anónimo a 4 de Março de 2009 às 14:46
GRANDE DOUTOR
Apetecia-me dizer como o amigo Joaquim Soares: "se já o admirava, agora admiro-o ainda mais". Mas eu não o admiro mais. Não consigo admirá-lo mais do que já admirava.
Na verdade, não considero que seja tão grande coragem remar contra a corrente dos descarados que povoam o nosso País. O nosso Doutor é a personificação da Coragem: ao servir e defender os seres humanos mais humildes, pondo em risco a própria vida; ao defender os Direitos Humanos; ao gritar contra a injustiça; ao gritar contra a intolerância...
Esta intervenção que teve agora, é mais uma manifestação de coerência para com os sues princípios e ideais. Já estava à espera dela.
De facto, ao longo da vida, as pessoas que nos educam e as que nos servem de referência procuram ser politicamente correctas. E quando lhes pedimos opiniões sobre assuntos delicados, nunca conseguem ser pessoas sinceras. Fogem sempre às questões, hipocritamente, com subtilezas.
Para gáudio dos seus admiradores podemos ouvi-lo, lê-lo com transparência, sem subterfúgios. Ao transmitir-nos os seus sentimentos e ideais mais íntimos, revela não só muita Coragem, mas antes de tudo uma grande Generosidade e uma grande Abnegação.
As boas consciências e os bons exemplos incomodam muita gente. Sobretudo os sem vergonha que proliferam por aí...
É por se expor tanto em prol dos outros que é um GRANDE HOMEM.
Peço a Deus que o abençõe e que nunca o deixe desistir.
OBRIGADA


De Fernando Nobre a 5 de Março de 2009 às 17:13
Desistir: por vezes estou tentado! Seria mais cómodo... Mas não posso desistir.


De Fernando Nobre a 23 de Março de 2009 às 22:32
Agradeço a carta que me enviou identificando-se. Só acho cobarde aquele que não se identifica quando insulta. Não é certamente o seu caso. Da próxima vez que estiver presente em qualquer evento em que eu esteja, só ou com a minha Esposa, no Porto ou em qualquer outro lugar, por favor venha e identifique-se. Terei, teremos, o maior prazer em dar-lhe um abraço amigo. Até sempre.


Comentar post

Fernando José de La Vieter Ribeiro Nobre nasceu em Luanda em 1951. Em 1964 mudou-se para o Congo e, três anos mais tarde, para Bruxelas, onde estudou e residiu até 1985, altura em que veio para Portugal, país das suas origens paternas. É Doutor em Medicina pela Universidade Livre de Bruxelas, onde foi Assistente (Anatomia e Embriologia) e Especialista em Cirurgia Geral e Urologia. (continuar a ler)
FOTO DA SEMANA


LIVROS QUE PUBLIQUEI

- "Viagens Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Gritos Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Imagens Contra a Indiferença",
Círculo de Leitores / Temas & Debates


- "Histórias que contei aos meus filhos",
Oficina do Livro


- "Mais Histórias que Contei aos Meus Filhos", Oficina do Livro

- "Humanidade - Despertar para a Cidadania Global Solidária", Temas e Debates/Círculo de Leitores

- "Um conto de Natal", Oficina do Livro
Pesquisa
 
Contador de Visitas