Segunda-feira, 13 de Abril de 2009

Ultimamente tenho constatado que me é difícil ser aceite como um “simples cidadão” que sou porque, aparentemente, colou-se-me o estatuto de “figura pública” embora nunca o tenha pretendido e, devo dizê-lo, até me incomoda.

 

Já antes de ter fundado a AMI há 25 anos, tinha eu então trinta e dois anos, e desde há muito era Cidadão, consciente dos seus deveres e dos seus direitos. Como tal, tenho recusado terminantemente deixar de ser o cidadão que sempre fui: foi essa postura que me levou, em Portugal, a tomar posição política pública em três ocasiões, como consta claramente no “meu perfil”, neste blog.


Àqueles que me criticam violentamente por dizer o que realmente penso sobre certos acontecimentos (guerras EUA – Iraque e Israel - Palestina), pessoas (Senhores Bush, Blair, Aznar, Durão Barroso…) ou por tomar posições políticas ao apoiar quem eu decido apoiar (2002: Dr. José Manuel Durão Barroso e PSD - 2006: Dr. Mário Soares e PS - 2009: Dr. Miguel Portas e BE), quero dizer claramente que em cada uma das ocasiões o fiz porque, genuinamente, acreditei que estava a tentar ser útil para o meu País ou para a Europa. SEMPRE O FIZ, COMO NÃO PODERIA DEIXAR DE SER, SEM NUNCA PEDIR OU ESPERAR FAVORES, FOSSEM ELES QUAIS FOSSEM, AO CONTRÁRIO DO QUE ALGUNS INSULTUOSOS COMENTÁRIOS DEIXAM ENTENDER!


Os mesmos que hoje me insultam por ter ousado dizer o que de facto penso sobre o Presidente da Comissão Europeia, são seguramente os mesmos que me incensaram, enquanto outros me criticavam (como, por exemplo, o meu Caro e Digno Amigo Barros Moura, infelizmente já desaparecido, me exprimiu por telefone), quando o ajudei a tornar-se Primeiro-Ministro de Portugal em 2002!


Para quem ler o “meu perfil” neste blog, ou a intervenção que na altura fiz na Convenção do PSD no Coliseu de Lisboa, em Fevereiro de 2002, e que publiquei no meu livro “Gritos contra a Indiferença” e neste blog, perceberá facilmente quando e como o apoiei (teve na altura destaque informativo na VISÃO e no DN, entre outros).


Por ter dito mais ou menos o que muitas outras figuras públicas, e com muito mais notoriedade, já tinham dito antes de mim (Miguel Cadilhe, Mira Amaral, Miguel Sousa Tavares, Ana Gomes, Mário Soares…) caiu o Carmo e a Trindade na blogosfera, e ao telefone com inclusive ameaças de retaliação financeira, corte de donativos, sobre a inocente AMI e quem ela apoia…


Assim sendo passo a explicar o porquê de ter dito o que disse: nunca aceitei, não aceito nem nunca vou aceitar que a pessoa que objectivamente apoiei para ser Primeiro-Ministro do meu País o tenha abandonado como o fez, fugindo lamentavelmente para Bruxelas, após o ter colocado na infamante reunião, e fotografia, da Base das Lajes que serviu de luz verde ao repugnante massacre no Iraque (que dura há seis anos!) e à sua “promoção” para Bruxelas…
 

Não aceito nem nunca vou aceitar que a pessoa que tanto elogiou e deu cobertura, até ao fim, aos desvarios do Senhor Bush tenha afirmado, em entrevista a um grande jornal português, há cerca de um ano, que dorme como um bebé, o sono dos justos, que venha hoje tentar fazer crer, sem nunca ter apresentado qualquer desculpa ou arrependimento, que nada tem a ver com uma tragédia que já vitimou entre 300 mil e 1 milhão de seres humanos no Iraque e que se apresente hoje como defensor e apologista das políticas do Senhor Obama quando elas são exactamente opostas às do seu directo antecessor, de quem o então Primeiro-Ministro de Portugal, o actual Presidente da Comissão Europeia, sempre foi seguidista e subserviente. Onde está a verticalidade, a postura e a coerência de um ser, ainda por cima quando se pretende projectar como estadista?


Para alguém como eu que há 30 anos convive com o sofrimento e o horror tal é insuportável!

 

E nada tem a ver com partidos políticos (no PSD, nomeadamente, orgulho-me de me considerar há muitos anos amigo dos Drs. Fernando Nogueira, Leonor Beleza, Teresa Gouveia, António Capucho, Luís Filipe Menezes, Alarcão Troni… e de ter sempre tido o maior respeito e consideração pelo Professor Cavaco Silva). Tem a ver simplesmente com dignidade, coerência, coluna vertebral e honra. Só isso e apenas isso!


O cidadão Fernando Nobre sempre apoiou, pagando sempre por ter essa ousadia, quem quis apoiar sem nunca nada negociar, pedir ou receber em troca.


O cidadão Fernando Nobre arroga-se, por isso mesmo, o direito inalienável e indeclinável de criticar atitudes que entende indignas e que magoam a sua consciência de ser humano e de português.


Quem quiser entender que entenda. Quem não quiser, apenas posso lamentar! Penitencio-me no entanto desde já se as minhas palavras, pronunciadas num certo contexto, provocaram algum sofrimento, embora certamente muito menor do que o sofrido pelos portugueses quando o seu Primeiro-Ministro fugiu para Bruxelas e pelas centenas de milhares de feridos, torturados e mortos iraquianos e americanos que padeceram e continuam a padecer numa guerra que tem nomes e rostos responsáveis!


É o que penso como cidadão. A AMI nada tem a ver com isso como nunca nada teve a ver com os apoios políticos que dei até hoje, como cidadão independente, a começar, repito, pelo apoio que dei ao actual presidente da Comissão Europeia quando participei na Convenção do PSD no Coliseu de Lisboa, em Fevereiro 2002, que o levou a Primeiro Ministro de Portugal.

Espero que o que fica aqui explanado ajude a esclarecer, embora possa não o justificar, certas afirmações que tenha feito.

 

Muito Obrigado.


PS: Nos próximos 10 dias estarei no Mali e desde já lamento não poder comunicar convosco. Retomarei o dialogo quando voltar…

 


 



publicado por Fernando Nobre às 19:15
link do post | comentar

99 comentários:
De artur gomes a 11 de Abril de 2011 às 20:54
Fico triste,, muito triste...
Defenitivamente que em Portugal, acreditar é o mesmo que decepção.
Sr Cidadão Fernando,,,só lhe quero dizer o Sr é muito pouco NOBRE

Artur


De José Gomes a 11 de Abril de 2011 às 13:19
Sempre admirei, a trajetória, do senhor Dr. F.Nobre.
Nunca o imaginaria, com tal atitude. Para a política, deveriam ir pessoas simples, inteligentes, honestas, como ele? De minha parte, perdeu tudo.
Perdoem-me os políticos, não é isso que transparece.
Até o senhor Dr. Almeida Santos, disse que os deputados faltavam á sexta, (naquela celebre, sexta feira) feira por ganhar pouquinho. Eu ouvi, e nessa altura eu recebia, por fatalidade o rendimento de Inserção, 373€ para mim, e esposa, sem mais rendimentos ou vencimentos. Será que ele desconhecia essas situações. Um político que até ali sempre o admirei. José Gomes


De Simão Marques a 7 de Fevereiro de 2011 às 20:19
Dr Fernando Nobre,
Sou um patriota. Fui um dos seus muitos apoiantes nas presidenciais e sou um dos que sente uma grande mágoa e tristeza ao ver o que estes parasitas estão a fazer ao meu país. É urgente que surja alguém na sociedade civil, em quem o povo confie. Eu penso que o Dr Fernando Nobre já tem o mediatismo necessário para poder concorrer a eleições legislativas. No entanto é necessário começar a reunir apoios de figuras públicas e queridas dos portugueses, para qd chegar a altura podermos ombrear com qualquer aparelho político. Uma vez no poder poder-se-á criar legislação que ponha o país nos eixos e fundamentalmente que crie na população um sentimento de justiça, coisa que nesta altura não se verifica. É importante que o Dr continue a falar sobre as situações miseráveis que continuam a acontecer. É a nossa voz... das pessoas que realmente se importam com o país. Tenho como modelo os países Escandinavos, países onde realmente a democracia funciona e se sente que a justiça existe. Deixo-lhe, se me permite, o link de um vídeo muito interessante e que estou certo também defenderá:
http://www.youtube.com/watch?v=3aC4A7bSnXU&feature=player_embedded
Cumprimentos
Simão Marques


De J.Vitorino a 14 de Abril de 2011 às 00:40
Por mais que o senhor fernando Nobre queira justificar a razão de ter aceitado o convite que o PSD ,ou seja o Dr. Passos Coelho lhe dirigiu para entegrar a lista do PSD como Deputado para a Assembleia da República e logo como a segunda figura da Nação, e mesmo assim não é justificação para aceitar o mesmo convite, e porque ?. Porque fez uma promeça àqueles que depositaram a sua confiança e o seu voto para Presidente da República como pessoa independente, e desligado de qualquer Partido Politico, se éra esse o seu desejo de concorrer à Assembleia da Républica tinha uma base de apoio muito grande para formar o seu proprio Partido para conncorrer às Eleições e porque não até talvez vencelas, mas não foi esse o caminho que kis percorrer foi pelo caminho mais facil, e atraiçoando todos aqueles que lhe depositaram a sua confiança com o seu voto.
E assim deu a desmonstrar o seu verdadeiro caracter como homem, porque demontra a razão que o motiva diz ser o enteresse do País, pois no seu ponto de vista pensa ser assim, mas a maioria que votou em tal como eu já não acredita na sua palavra, esta sua atitude para mim sujou toda a sua carreira até aqui comquistada. deu mostras que aquilo por que luto é por garantir como muitos mais um tacho para uma vêz mais como os outros quando chegar ao fundo do tacho ter como os outros que andam à procura de tacho ter uma reforma choruda, e não pelo interesse da Nação.
Eu julgava que ainda existia pessoas honestas e de palavra uma vez mais me enganei. A Nação Portuguesa merecia melhor.


De Miguel Martins a 12 de Janeiro de 2011 às 01:37
Sr. Candidato à Presidência da República
Dr. Fernando Nobre:
Tenho gostado muito da sua campanha. Permita-me apenas sugerir-lhe o emprego de uma frase, quando se dirige aos eleitores, não da minha autoria, mas que ouvira há anos a um candidato em campanha para eleições no Canadá, mais ou menos assim: « caros eleitores (cidadãos? compatriotas? Portugueses?) dêem-me uma oportunidade!». Sim, pedir uma «oportunidade» para um candidato diferente, nobre de valores e acção , que nunca esteve no poder, parece-me oportuna, tocando fundo aqueles que estão profundamente descontentes e revoltados com os responsáveis políticos que nos levaram à situação conhecida de todos. Penso que o apelo a "uma oportunidade" teria impacto e angararia muitos votos. Pelo menos, foi esse sentimento que tive no país a que me referi.
Votos solidários de sucesso,
Miguel ( de uma aldeia de Barcelos).


De Credito pessoal a 18 de Outubro de 2010 às 21:02
Gostava de o ver na presidência, este país precisa de uma limpeza, talvez você seja a pessoa ideal para lhe dar inicio.


De Eduardo Bapyis a 24 de Junho de 2010 às 21:45
Defacto a candidatura de Fernando Nobre vem trazer para o debate político mais discussão da importancia da verdade ser o rumo que Portugal tem que seguir.
E que agora mais que nunca mergulhados numa crise , provocada por uns quantos banqueiros com uma económica de casino , com fins ocultos bastante visiveis e uns sinsis preocupantes de xenofgos e racismo económico.
pois como autor de música e Letras,poesia e prosa. e fundador de um blog www.myspace.com/artesassociadas e estarei á sua disposiçao como cidadão do Mundo que quer contribuir para um Mundo limpo de poluição mental e atmosfericas.
Mas um planeta com a cultura e humanismo como terra pronta a ser semeada .

Com os melhores cumprimentos
eduardo Baptista
edybaptista@gmail.com
tem 969144801




De abiliosimoes a 21 de Maio de 2010 às 20:05
Sr. Dr. Fernando Nobre,
É de um HOMEM de coragem, frontal e com sentido de justiça, como o Senhor, que precisamos para Presidente
da República.
A ser verdade o conteúdo de um e-mail que recebi de um amigo, isto precisa mesmo de alguém "contra-corrente" que consiga por cobro a tanto despesismo público. Vem isto a propósito do Díário da República
n.º 28-I Série de 10 Fe.2010, cujo tema é Dotação
para a Assembleia da República. Por certo que o Sr. Dr.
conhece!... Acredito em si e acredite que terá o meu voto, desde que prometa "mexer" nestas INJUSTIÇAS! Bem Haja
A. Simões


De Jorge Mouta Reis a 14 de Junho de 2010 às 11:36
Sr. Dr. Fernando Nobre

Parabéns pela sua ousadia em candidatar-se à Presidência da Republica. Estou consigo. Fale com a sua sinceridade e coragem que tem pautado a sua vida! Apelo para que fale da desertificação das nossas aldeias do Douro, deixadas ao abandono com a morte do caminho de ferro e que poderiam ser elemento dinamizador de desenvolvimento do turismo e de qualidade de vida para as gentes que aí vivem e outros que com novas vias poderiam nascer pólos de industria e agricultura que fariam acordar uma zona que já deu cartas a Portugal e os nossos políticos se esqueceram.
Obrigado! Creio que muitos portugueses irão votar no amigo dos humildes, do povo em geral, que quer trabalhar pela dignidade deste Portugal que está moribundo .


De Paulo Sarmento a 30 de Abril de 2010 às 23:19
Havia quem não acreditasse no Sr. Obama e contra tudo e todos ele continuou e venceu... foi a reviravolta que a América precisava! Para Portugal - Siga em frente Sr. Fernando Nobre pois com toda a certeza, você também é a mudança que nós precisamos!

Conte comigo e felizmente com toda a minha família!

Muitos Parabéns pela Força!


De Ana Costa a 30 de Abril de 2010 às 23:15
Caro Fernando Nobre,

Considero que tem toda a razão naquilo que diz, principalmente que é um CIDADÃO como todos os outros.
Acho curioso que todos possam tecer comentários sobre tudo, mas quando surge uma figura como o senhor que diz o que pensa e sente, e que o faz de forma coerente e reflectida, que surjam ouras pessoas, prontas a criticar.
Lembro-vos amigos- somos livres de expressar a nossa opinião, incluindo este senhor, de tanto respeito !
Um Homem que fez, faz e querer fazer mais por nós, por Portugal! Foi preciso coragem para dar inicio a um projecto como a AMI e ainda mais força para fazer que ela continue a ser o que é. O grande representante de Portugal a nível INTERNACIONAL!

Meus amigos... para quem quer ver a mudança, não fiquem em casa a criticar e a lamuriar da vida que podia ser... façam por isso... mexam-se e acreditem que um dia pode vir um salvador que nos irá tirar do buraco! Este HOMEM chegou finalmente!

Muitos Parabéns! Pode contar com o meu voto e com todo o meu apoio!

Ah e amigos, como o mundo está, cheio de vulcões, terramotos, tsunamis e sei lá mais o quê... nada como um Presidente cheio de Experiência para nos ajudar caso o nosso País sofra uma calamidade! :)

Caro Fernando Nobre... posso afirmar que você é só coisas positivas! Força!

Muito obrigada!


De miguel miranda a 19 de Março de 2010 às 22:22




Parabéns pela sua candidatura. Se for eleito,
não creio que a Presidência lhe permita mudar
substancialmente a situação do país, mas se
conseguir introduzir alguma moralidade no
Estado, já não é mau.

Com os melhores cumprimentos,

Miguel MIranda


Comentar post

Fernando José de La Vieter Ribeiro Nobre nasceu em Luanda em 1951. Em 1964 mudou-se para o Congo e, três anos mais tarde, para Bruxelas, onde estudou e residiu até 1985, altura em que veio para Portugal, país das suas origens paternas. É Doutor em Medicina pela Universidade Livre de Bruxelas, onde foi Assistente (Anatomia e Embriologia) e Especialista em Cirurgia Geral e Urologia. (continuar a ler)
FOTO DA SEMANA


LIVROS QUE PUBLIQUEI

- "Viagens Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Gritos Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Imagens Contra a Indiferença",
Círculo de Leitores / Temas & Debates


- "Histórias que contei aos meus filhos",
Oficina do Livro


- "Mais Histórias que Contei aos Meus Filhos", Oficina do Livro

- "Humanidade - Despertar para a Cidadania Global Solidária", Temas e Debates/Círculo de Leitores

- "Um conto de Natal", Oficina do Livro
Pesquisa
 
Contador de Visitas