Terça-feira, 2 de Março de 2010

Caros Amigos,

 

Todos aqueles que estiverem interessados em participar, como voluntários, na minha candidatura, poderão entrar em contacto com os organizadores da mesma através destes contactos.

 

Estão neste momento marcadas duas reuniões para organização de voluntariado:

 

LISBOA - 13 de Março, 15h 

VIP Grand Lisboa Hotel (Avenida 5 de Outubro, nº 197), Auditório 1;

 

VISEU - 21 de Março, 15h

Solar dos Peixotos, Largo de S. Martinho

 

 

Um obrigado muito sentido por todas estas manifestações de apoio e, principalmente, de incentivo.



publicado por Fernando Nobre às 13:47
link do post | comentar

38 comentários:
De Marco Encranação a 28 de Julho de 2010 às 14:07
Espero sinceramente que haja uma mudança na mentalidade Portuguesa. Sempre estive contra as ditas carreiras politicas e contra as personagens que se criam dentro desse sistema, amplamente injusto e que de democrático tem muito pouco. Espero que seja o nosso próximo Presidente de Portugal.

Abraço


De Miguel Miranda a 8 de Junho de 2010 às 21:44



Dr. Fernando Nobre:

Permita que lhe diga algumas coisas
relacionadas com a sua candidatura. Por exemplo, não consigo compreender que um verdadeiro cidadão do mundo como V. é, tenha um discurso tão estreitamente "nacionalista".
A sua afirmação de que não é um candidato do sistema também me parece um pouco estafada. Enfim, tudo isto me faz pensar que V. será um presidente como os outros, o que seria uma
pena que acontecesse.

Com os melhores cumprimentos,

Miguel Miranda


De José Faria a 2 de Junho de 2010 às 19:26
Senhor Dr. Fernando Nobre. Obrigado pelo seu empenho . Penso que os portugueses estão a ficar muito cansados do "mais do mesmo, sempre com os mesmos"! O humanismo, a verdade e a solidariedade não ter cor nem Partido. Obrigado. Estou com o senhor. Deixei foto e link desta página nos meus Blogs: http://zemaiato.blogspot.com e http://flormamede.blogspot.com.
Seria bom que muitas outras páginas o fizessem. Obrigado.
José Faria


De Escritos Dispersos a 23 de Maio de 2010 às 01:44


De Anónimo a 20 de Maio de 2010 às 17:10
Olá eu vim da Guiné e tenho acompanhado muito todo o Esforço dado ao Mundo por este Senhor Fernandio Nobre, gostaria muito que ele ganhe as eleições e faça muito por Todos Nós em Portugal Vou votar nele com muita esperança e confiança!


De José a 1 de Abril de 2010 às 03:46
Caro Doutor Fernando Nobre,

Com reconhecido atraso, estou a ler o seu livro "Gritos contra a Indiferença". Revejo-me em cada linha do seu discurso (revejo-me em teoria, porque na prática, infelizmente, estou a anos-luz da sua obra). Mesmo aquilo que outros criticam (os seus apoios passados a candidatos de todos os quadrantes políticos), eu vejo como uma demonstração de que, para si -- e nos tempos que correm -- a integridade moral e credibilidade das pessoas é mais importante e preciosa do que as ideologias políticas.

Acredito em si. Quero acreditar. Preciso de acreditar que finalmente surge alguém que conjuga em si todas as qualidades desejáveis num bom político: 1) sólidas convicções sobre o caminho a trilhar no nosso mundo, 2) capacidade de trabalho, com provas dadas, 3) habilidade diplomática e capacidade para recolher apoios e congregar vontades no momento de passar à acção, e 4) o poder de oratória necessário para acordar as pessoas e fazê-las pensar naquilo que carece ser pensado. Num país completamente à deriva (do qual eu já teria emigrado se tivesse meios para isso, e se me considerasse, eu próprio, digno de uma Suécia ou de outro país que me acolhesse), o Doutor Fernando Nobre surge como uma última esperança de moralização, credibilização e dignificação da Política.

Pode ter a certeza de uma coisa: os votos em si serão votos reflectidos, sentidos, fervorosos. Como eu, e como aquele outro comentador cansado de votar em branco (como eu!), muitas pessoas colocarão em si elevadas expectativas. Não lhe pedimos o impossível, mas apenas isto: continue fiel a si próprio, digno da confiança que queremos depositar em si.

Com votos de êxito e os mais sinceros cumprimentos,
José (Coimbra)


De Pedro Maximino a 26 de Março de 2010 às 23:46
“Soltas”

O PEC foi aprovado no sentido de recolocar nos trilhos este nosso país que volta não volta teima em querer descarrilar, parece fácil, tira um bocadinho a este, um bocadinho àquele e lá equilibra o Teixeira as contas, o pior é que desequilibra as minhas, mas para fazer face a isso resolvi aprovar também o meu PEC, 1 voto a favor, 3 abstenções e 1 contra e lá passou, as prestações sociais dos gaiatos vem já directas para a minha conta, as suas mesadas foram congeladas até 2013 e as deduções específicas em pastilhas elásticas, chupa-chupas e gelados foram suprimidas, o cartão de crédito da Maria também está no congelador pelo durante os próximos 2 anos, espero com estas medidas conseguir equilibrar também as contas ou senão entra o FED - Fundo de emergência doméstica.

MFL despediu-se hoje do cargo que ocupa desejando ao próximo presidente os maiores sucessos à frente deste partido de referência, este é de referencia bem como o que com este tem alternado no poder, só que ambos têm conseguido trazer o referencial tão para baixo, que somos dos que menos auferem e mais caro pagam os bens nesta UE a 27, não fora o advento da moeda única a que pertencemos e neste momento provavelmente já teríamos integrado a comunidade económica dos países do Magrebe, e provavelmente nem aí ocuparíamos o lugar da frente.

Os estudiosos destas coisas descobriram que uma grande faixa da população mais jovem sofre de um novo síndrome de dependência, em tudo idêntica à dependência
do álcool e das drogas, que é a Facebook dependência ou dependência das redes sociais e que provoca sintomas físicos muito semelhantes aos que se manifestam nos toxicodependentes com crises de abstinência, mas aqui o tratamento não passa pelo corte ou restrição, mas em auxiliar os pacientes a retomar a sua vida social normal, ou seja voltar a colocar o processador no computador e o cérebro de volta no seu lugar, mas em breve da ficção se passará à realidade pois já se fala em processadores utilizando neurónios biológicos, onde sociedade será Facebook e Facebook será sociedade.

Notícia de última hora, os nossos serviços de inteligência acabam de interceptar uma conversa em código, entre dois indivíduos não identificados, mas tudo leva a crer tratar-se de pessoas influentes e com altos cargos na administração, salvaguardando todos os segredos inerentes a processos em curso, passamos a transcrever :

JT - Então amigo a embarcação já se fez ao mar?, AV - Não te preocupes as vagas estão controladas, a pescaria vai ser daqui., JT - A ver se desta fez também trazem alguns robalos!, AV - Está garantido e lagosta suada também., JT - Óptimo, óptimo, assim vou poder propor-te para 1º comandante da embarcação., AV - E não te esqueças daquele moço para imediato., JT - Alto aí, não abuses que o contra-mestre pode desconfiar, vamos aguardar por mar chão., AV - Se for necessário eu solto os tubarões., JT - Não vamos por aí ainda, vê-me só a malhagem das redes, depois ligo-te., Beep, beep, beep.

Não perca as próximas transcrições de escutas dos nossos serviços de inteligência.


De Pedro Maximino a 26 de Março de 2010 às 01:22
“A face do mal”

Na maior parte das vezes somos levados a associar o mal a uma face, a face do mal, que simplistamente ligamos a este ou àquele indivíduo, ou conjunto de indivíduos que de uma ou doutra forma conduzem processos que condicionam de forma directa ou indirecta as nossas vidas, mas o mal tem seguramente origens muito diversas.

Numa perspectiva histórica se relembrarmos que “o mal só pode ser vencido por outro mal”, encontramos uma justificação mais que perfeita para todas as atrocidades que se têm vindo a cometer ao longo dos tempos para justificar a reparação dos males, obviamente com outros que justificam conquistas, usurpações, destruições, tudo praticado sempre em nome de um bom pretexto.

Numa perspectiva filosófica nada melhor que relembrar a célebre frase, “a história da natureza começa pelo bem, pois é a obra de Deus; a história da liberdade começa pelo mal, pois é obra do homem.”, e a partir daqui seria possível darmo-nos conta do esforço hercúleo a realizar para escapar à face do mal que certamente observaremos a cada vez que nos olharmos ao espelho.

Numa perspectiva teológica os males estão misturados com os bens, estão ambos bem caracterizados e personificados sabendo-se o destino final de quem opta por uma ou outra via, mas acontece que a recompensa plena se concretizará no fim dos tempos, altura em que o mal acabará por desaparecer, o que significa que no curto prazo o “crime” compensa, basta olharmos a sociedade dos nossos dias para tirar a prova.

Numa perspectiva psicológica sabemos que todos amam os bons, mas exploram-nos e todos detestam os maus, mas temem-nos e obedecem-lhes, daí que seja muito fácil conduzir milhões de pessoas na esperança da felicidade por muito poucas e nos caminhos da guerra também por uns quantos, também aqui o bem paga muito mal, enquanto o mal oferece alta rendibilidade.

São todas abordagens muito técnicas para um leigo que apenas tem o “feeling” de que o mal vem do nosso íntimo e do facto de permitirmos que o mesmo aconteça e nos domine, já antes alguém disse “para que o mal domine basta que os homens de bem nada façam”, ou seja existe o mal, porque simplesmente reside em nós e existe o bem como cúmplice desse mal que deixamos acontecer, até que resolvamos enfrentar de vez essa nossa face do mal.


De Nuno Carmo a 25 de Março de 2010 às 19:36
Há muito que voto em branco!

Nas eleições presidenciais de 2011 sentir-me-ei um cidadão de facto.

Contem comigo para lutar contra a indiferença!!!

Um grande bem-haja!

P.S.: Obrigado pelo Kit Voluntário vai dar muito jeito! :)


De Zélia Moura a 21 de Março de 2010 às 13:03
Dr. , sempre admirei a sua obra, o seu bom senso e alegria (embora as situações fossem de tristeza) com que partia para cada missão . A sua integridade, fora do dos meios políticos enredados de tanto problema ,será uma marca para quem pense que governar não é só "vigiar os outros" mas sim agir perante as situações e ajudar a resolve-las . O povo precisa de um olhar mais abrangente para as necessidades quotidianas . Estamos cansados de tricas políticas e daqueles que somente se curvam quando lhes convem.
Viva Portugal que ainda vamos a tempo


Comentar post

Fernando José de La Vieter Ribeiro Nobre nasceu em Luanda em 1951. Em 1964 mudou-se para o Congo e, três anos mais tarde, para Bruxelas, onde estudou e residiu até 1985, altura em que veio para Portugal, país das suas origens paternas. É Doutor em Medicina pela Universidade Livre de Bruxelas, onde foi Assistente (Anatomia e Embriologia) e Especialista em Cirurgia Geral e Urologia. (continuar a ler)
FOTO DA SEMANA


LIVROS QUE PUBLIQUEI

- "Viagens Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Gritos Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Imagens Contra a Indiferença",
Círculo de Leitores / Temas & Debates


- "Histórias que contei aos meus filhos",
Oficina do Livro


- "Mais Histórias que Contei aos Meus Filhos", Oficina do Livro

- "Humanidade - Despertar para a Cidadania Global Solidária", Temas e Debates/Círculo de Leitores

- "Um conto de Natal", Oficina do Livro
Pesquisa
 
Contador de Visitas