Quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014

Caros Amigos,

 

convido-vos a ler aqui, mais uma crónica publicada na Visão Solidária.



publicado por Fernando Nobre às 11:54
link do post | comentar

2 comentários:
De António Miguel M Pereira a 22 de Fevereiro de 2014 às 03:15
Ex.mo. Senhor Fernando Nobre

Partilho inteiramente o seu sentimento da mão estendida.
Já não sinto vergonha, bem pelo contrário, sinto orgulho da mão que o senhor estende a muita gente, e sinto muito orgulho que o senhor seja Português, embora pense que isso não seja muito relevante, mas mesmo assim é uma honra ser seu concidadão.
Gostaria que lesse um comentário que escrevi (um bocadinho à pressa), em resposta a alguns, sobre a sua nova candidatura no site "Noticias ao Minuto", que abaixo passo a transcrever. Não sei se será possível, mas gostaria que me confirmasse se o meu pensamento está correcto ou não, em relação às suas intenções políticas e não só na última candidatura, se puder, tiver tempo, disponibilidade e vontade claro, humildemente lhe agradecia. Peço desculpa por algum eventual exagero.

"Cambada de ignorantes, o único Homem que poderia fazer alguma coisa por vós, acabando com as mordomias desta corja de políticos, desde a esquerda à direita (se é que isso existe) que não nos governam, governam-se a eles, aos amigos, família, famílias poderosas que já vêem do tempo da outra senhora e que continuam a controlar os grandes grupos económicos, e outros novos, em que todos estão mais ricos e nós mais pobres.
Eu sei que se queimou politicamente, primeiro ao candidatar-se pelo PSD, e em segundo por se ter demitido de deputado ao não conseguir ser eleito Presidente da Assembleia da Republica.
O Zé-povinho pensou logo "este só queria era taxo..." cambada de ignorantes.
Este homem único queria realmente um cargo superior, onde tivesse poder de decisão, de poder mudar alguma coisa, já pensaram porque não foi eleito pelos deputados para presidente da assembleia? É simples, eles sabiam que ele se iria opor a muitas (mordomias) coisas e iria possivelmente mudar outras. Sabiam que os srs. deputados foram aumentados este ano em 4,5% no ordenado e aumentadas as verbas para despesas dos mesmos (é só ver o Orçamento no Diário da República) e não houve nenhum mas mesmo nenhum sr . deputado da esquerda à direita (se é que isso existe) que se opusesse, quando sacrificam a maioria do povo que estupidamente os continua a eleger.
Se fez bem ou mal ao candidatar-se pelo PSD não sei, mas foi inteligente ao perceber que iam ganhar as legislativas, e ele depois como independente e presidente da assembleia poderia fazer muitas coisas, já que não tinha sido eleito Presidente de todos nós. Além disso já apoiou outras correntes politicas o que só apoia este meu pensamento. Se se candidatar outra vez irei votar nele sem sombra de dúvida nenhuma, pois ter um como o que temos agora ou igual… não, e não vejo ninguém na política a fazer o que ele (Fernando Nobre) fará se for eleito.”

Este pensamento é realmente o que sinto, embora muitas pessoas na rua, incluindo algumas da minha família que votaram em si, não pensem da mesma maneira.
Para estas pessoas, penso e se me permite a minha humilde opinião, teria que falar abertamente e frontalmente como é seu timbre, que não queria tacho nenhum (assim mesmo em linguagem popular), pois só assim o povo entende, e se realmente o meu raciocínio no "Noticias ao Minuto" estiver correcto, explicá-lo também, simples e abertamente de maneira a que o povo entenda quais foram as suas reais intenções.

Com os melhores cumprimentos,

De V.Exa .,
Atentamente

Miguel Pereira


De Fernando Nobre a 6 de Março de 2014 às 10:02
Caro Amigo,

Agradeço as suas palavras e fico muito sensibilizado por ter compreendido as minhas intenções, quando decidi aceitar o convite para ser candidato a deputado, com o estatuto de independente, para cabeça de lista por Lisboa e ainda para a minha indigitação como candidato a Presidente da Assembleia da República, e quando decidi abdicar do cargo de Deputado.

Ao longo de todo este tempo, nunca me foi dada oportunidade pela Comunicação Social de explicar as razões da minha decisão, pelo contrário, fui votado a um silenciamento completo, pelo que agradeço o seu gentil comentário.

Como tive oportunidade escrever neste blogue na altura, sabia que poderia ser alvo de muitas incompreensões, de outras tantas críticas e até do desprezo de muitos, mas o que me determinou foi a convicção de que poderia servir o meu País e ser útil a Portugal. Sou antes de mais um homem de ação e um patriota. Foi a pensar nos que não têm voz e no futuro das novas gerações que tomei esta decisão.

Abraço amigo,

Fernando Nobre


Comentar post

Fernando José de La Vieter Ribeiro Nobre nasceu em Luanda em 1951. Em 1964 mudou-se para o Congo e, três anos mais tarde, para Bruxelas, onde estudou e residiu até 1985, altura em que veio para Portugal, país das suas origens paternas. É Doutor em Medicina pela Universidade Livre de Bruxelas, onde foi Assistente (Anatomia e Embriologia) e Especialista em Cirurgia Geral e Urologia. (continuar a ler)
FOTO DA SEMANA


LIVROS QUE PUBLIQUEI

- "Viagens Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Gritos Contra a Indiferença",
Temas & Debates

- "Imagens Contra a Indiferença",
Círculo de Leitores / Temas & Debates


- "Histórias que contei aos meus filhos",
Oficina do Livro


- "Mais Histórias que Contei aos Meus Filhos", Oficina do Livro

- "Humanidade - Despertar para a Cidadania Global Solidária", Temas e Debates/Círculo de Leitores

- "Um conto de Natal", Oficina do Livro
Pesquisa
 
Contador de Visitas